Piauiense é morto no Rio de Janeiro

Um crime com requintes de crueldade fez vítima Antônio José da Conceição, de 35 anos, morto no último sábado (9) em seu apartamento em Rio ...

Um crime com requintes de crueldade fez vítima Antônio José da Conceição, de 35 anos, morto no último sábado (9) em seu apartamento em Rio das Pedras, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Natural de Barra Grande, no município de Cajueiro da Praia, a 400 km de Teresina, ele foi assassinado com várias perfurações e seu corpo tinha marcas de espancamento. A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que as investigações estão em andamento, mas não deu detalhes. A família acredita em crime passional.

Tony tinha 35 anos e residia em Rio das Pedras, no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução/Facebook)
Chocada com o crime, Elizete da Silva, tia de Antônio, informou que os relacionamentos amorosos do sobrinho talvez tenham ligação com o crime. "Ele me disse que tinha terminado com o ex, mas que já estava com outro. Isso tinha provocado uma briga muito forte. A gente suspeita que o crime pode ter sido cometido por um desses companheiros. Meu sobrinho era um rapaz maravilhoso. Não merecia de forma alguma isso", falou a tia.

Mariangela Silva, amiga de Tony, como era conhecido no Rio de Janeiro, contou que o crime aconteceu na madrugada do sábado (9). Ele havia ido para uma boate, na sexta-feira (8) à noite com um amigo. Pouco tempo após chegar ao local, Tony insistiu ao amigo para voltar para casa. Foi então que por volta das 3h ele saiu sozinho, deixando o amigo no local e não voltou mais à casa noturna.

“Os vizinhos disseram que ele chegou em casa por volta das 4h30. Com cerca de meia hora depois começaram a escutar gritos e barulhos de objetos sendo quebrados. O assassino chegou a quebrar um espelho, perfurou o meu amigo e o matou de forma brutal”, contou Mariangela.

A amiga ainda disse que um dos vizinhos quis intervir, mas o agressor afirmou se tratar de uma “briga de casal e não precisava de ninguém ali”. As agressões então continuaram até Tony perder a vida.

“O acusado, como afirmou a vizinhança, saiu para trabalhar às 7h, como se nada tivesse acontecido. Disseram ainda que já tinham visto ele chegando outras vezes com a chave e entrando sozinho no apartamento do Antônio”, relatou Mariangela.

Nas redes sociais, outros amigos de Tony estão deixando suas homenagens. Muito abalados, eles afirmaram não entender o motivo da morte. “Ontem nosso amigo foi brutalmente, covardemente assassinado por um monstro que talvez ainda esteja em nossa comunidade. É mais uma vida que se vai e a gente não pode fazer nada. Espero que a justiça seja feita e que a morte dele sirva de alerta pra todos”, publicou Lena Trajano, na página pessoal de Tony. 

Mariangela, que acompanhou todo processo após o crime, conheceu Tony há 15 anos, desde quando ele chegou ao Rio de Janeiro e já chegaram a dividir o mesmo apartamento.
“Não tinha motivo algum pra alguém matar o meu amigo daquela maneira tão cruel. Ele era muito querido por todos. Até as crianças, filhas de uma amiga nossa, estão abaladas com o que aconteceu. Ele queria só o bem de todos”, afirmou a amiga.

O corpo da vítima deve chegar a Teresina por volta das 2h, no Aeroporto Petrônio Portella. A irmã de Tony foi ao Rio de Janeiro reconhecer o corpo e fazer todos os procedimentos necessários para o translado.

Em nota enviada ao G1 a Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que as investigações estão sendo feitas pela Delegacia de Homicídios da Capital (DH). Um inquérito foi instaurado para apurar as circunstâncias da morte de Antônio José. “A perícia de local foi realizada e o corpo encaminhado ao IML. Testemunhas prestaram depoimento e agentes estão em diligências na busca de imagens de câmeras de segurança e informações que possam ajudar a identificar a autoria do crime”.

Fonte: G1

Veja também

REGIONAIS 5388791148021224687

Postar um comentário

Últimas Notícias

item