Mesmo com greve de técnicos efetivos, Uespi mantém calendário acadêmico

A Universidade Estadual do Piauí – UESPI informou na manhã desta terça-feira (16) que o Calendário Acadêmico da Instituição permanece sem a...

A Universidade Estadual do Piauí – UESPI informou na manhã desta terça-feira (16) que o Calendário Acadêmico da Instituição permanece sem alterações, mesmo com os técnicos administrativos da Instituição estando em greve. Por meio de nota, foi informado que as aulas nos campi devem ter início no dia 14 de março.

Fila de estudantes no campus da Universidade Estadual do Piauí, em Floriano. (Foto: Reprodução)

Quanto a confirmação de interesse de estudantes que foram convocados na lista de espera do SISU, a nota informa que o atendimento não será prejudicado, e que acontece normalmente até quarta-feira (17). As matrículas institucionais devem ser feitas uma semana antes do início das aulas.

Segundo a presidente do Sindicato dos Técnicos da UESPI - Sintuespi, Leda Simone, o atendimento dos estudantes está sendo feito por outras pessoas, que estão sendo desviadas de suas funções originais. “O trabalho está sendo feito por alguns bolsistas e terceirizados da Limpel, e isso é desvio de função de função. Eles estão pegando somente as assinaturas de interesse dos estudantes, que confirmam que vão fazer o curso. As matrículas institucionais de verdade somente os técnicos podem fazer, temos uma lei”, afirmou.

Outro técnico da instituição afirmou que nos campi do interior, onde o número de funcionários é reduzido e não há bolsistas ou terceirizados para realizar o atendimento, os estudantes formaram grandes filas, devido a ausência de pessoas para registrar a confirmação de interesses no curso. “Em alguns campi do interior, não estão sendo feitos esse tipo de atendimento. Em Teresina tem, mas os estudantes do interior são os mais prejudicados”, disse.

A greve

Os trabalhadores técnicos efetivos da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) paralisaram suas atividades na manhã da última sexta-feira (12), onde quase cinquenta servidores protestaram em frente ao Palácio Pirajá, sede da reitoria do campus Poeta Torquato Neto, na zona Norte de Teresina. A paralisação acontece nos onze campi da universidade espalhados pelo Piauí, em cidades como Parnaíba, Campo Maior, Floriano, Oeiras.

Mais de 360 servidores técnicos participam do movimento, protestando por melhores condições de trabalho, insalubridade, pagamento de 5% do reajuste salarial referente à dezembro, auxílio alimentação, e por um Plano de Carreira e Remuneração.

Confira a nota da Universidade Estadual na íntegra:

A administração superior da Universidade Estadual do Piauí reconhece a legitimidade das pautas de reivindicação dos técnicos da UESPI. No entanto, por não possuir autonomia financeira, entendemos que a negociação deve acontecer entre o comando de greve e o governo do Estado. Temos tentado atuar como mediadores nesse diálogo, uma vez que reconhecemos a importância de que nossos técnicos tenham condições dignas de trabalho para o bom funcionamento desta IES.

Segundo a PREG, as aulas só iniciarão no dia 14.3, até lá, acreditamos que teremos algum posicionamento do sindicato e Governo. Quanto à lista de espera, de forma alguma deixaremos os candidatos prejudicados e o atendimento acontecerá normalmente até dia 17/02.

Sobre o calendário acadêmico

A Administração Superior da Universidade Estadual do Piauí - UESPI, informa que o Calendário Acadêmico está mantido, e que regimentalmente apenas o Conselho Superior pode alterá-lo. Todas as unidades administrativas devem observar as atividades previstas no C.A, em especial as datas de execução das etapas previstas nos editais em vigência desta IES.

Fonte: Cidade Verde 

Veja também

REGIONAIS 7175745286367677325

Postar um comentário

Últimas Notícias

PUBLICIDADE

item