Centrais de ar são furtadas de escola em São João da Canabrava

SÃO JOÃO DA CANABRAVA – Na manhã da última terça-feira (29), ao chegar ao Ginásio Municipal João José Batista, em São João da Canabrava, a ...

SÃO JOÃO DA CANABRAVA – Na manhã da última terça-feira (29), ao chegar ao Ginásio Municipal João José Batista, em São João da Canabrava, a diretora Elba Janne constatou que nove centrais de ar condicionado das dez que estavam guardadas no laboratório de informática haviam sido furtadas. 

Das dez centrais que estavam na escola, nove foram furtadas. (Foto: Rosário Sousa)
De acordo com Elba Janne, as centrais foram vistas pela última vez na tarde da segunda-feira (28), quando o laboratório foi fechado e reaberto somente na terça-feira, momento em que percebeu o furto. 

“O laboratório de informática foi fechado as cinco e meia da tarde e quando chegamos no dia seguinte demos por falta das centrais, entrei em contato com a polícia e fomos para Picos, prestar o Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil”, explicou.  

Segundo a diretora, no dia do furto havia um vigia na escola, mas o mesmo afirmou que não percebeu a ação dos assaltantes. O caso está sendo investigado, mas até o momento as centrais ainda não foram recuperadas. 

De acordo com a secretária municipal de educação, Elisângela Santos, as centrais de ar que foram furtadas são oriundas de ações financiadas do PAR (Plano de Ações Articuladas) do Ministério da Educação, órgão que definiu quais ações financiadas o município ia adquirir. Na época eram ônibus escolares, carteiras escolares, projetores multimídia e aparelho de ar condicionado. Os aparelhos foram adquiridos no ano de 2013.

Indagada sobre o motivo pelo qual as centrais ainda não haviam sido instaladas, Elizângela Santos afirmou que a escola não tem estrutura adequada e que a Secretaria de Educação enviou um projeto ao MEC solicitando a reforma da escola, porém o pedido ainda não foi atendido.   

“Visto que nossas escolas não dispunham de infraestrutura para recebê-las, solicitamos do MEC, também via PAR, a reforma completa do Ginásio Municipal, solicitação esta que, desde a época, encontra-se em análise no MEC. Climatizar uma escola daquele porte, exige uma adaptação de teto e em toda a rede elétrica, este é o motivo pelo qual as centrais estavam ainda sem ser instaladas. Apenas a Unidade Escolar Helvídio Nunes havia condições para receber e nela foram instaladas 10 centrais. 

Ainda sobre a forma como se deu o furto, em que mesmo com um vigilante na escola, as centrais foram levadas por pessoas que não deixaram vestígios, a secretária explicou que sempre que bens públicos são furtados surgem muitos comentários no sentido de “difamar os gestores”.    

“Com estamos em ano de eleição e por se tratar de um furto de bens públicos, existe uma ou mais pessoas que andam em pontos públicos das ruas de nossa cidade disseminando maledicência e destilando veneno, acusando os gestores públicos e das escolas como eventuais mandantes do furto. Quero aqui deixar claro para tal ou tais pessoas que nenhum gestor público para se refrescar, necessita de furtar um aparelho de ar condicionado público. Infelizmente há pessoas que pensam que todos são iguais.  Pois deixo claro aqui: Nem todo mundo que toma conta de um bem público age com desonestidade, a ponto de ter sua índole afetada por tão pouco. E para este ou estes que nos acusam de tal fato, deixo aqui esse provérbio bem popular: “ o gato do que usa, cuida”



Marca de tênis em cima da mesa do computador perto da janela. (Foto: Rosário Sousa)



Veja também

DESTAQUES 5005933996845206440

Postar um comentário

Últimas Notícias

item