Categorias propõem boicote à concurso público no Piauí por baixos salários

PIAUÍ - Os conselhos regionais de Fisioterapia e Enfermagem no Piauí estão propondo boicote ao concurso da prefeitura do município de Esper...

PIAUÍ - Os conselhos regionais de Fisioterapia e Enfermagem no Piauí estão propondo boicote ao concurso da prefeitura do município de Esperantina, município a 224 km de Teresina. As categorias alegam os baixos salários aplicados no edital que são de R$ 900 + gratificações, ao passo que o cargo de auxiliar de serviços gerais oferece um salário de R$ 880 no edital. Não havendo em nenhum outro espaço do documento, o que defina as gratificações expostas no edital.

Imagem: Reprodução
"Nós estamos tomando todas as providências, uma delas alertando a todos para não fazerem esse concurso. A prefeitura é autônoma para fazer o seu plano de cargos, carreiras e salários, mas deve prevalecer a lei de mercado que é a lei do piso. Mesmo o piso aprovado, que hoje está acima de R$ 2700, não remunera dignamente o profissional, afinal de contas, fazemos parte de uma equipe que melhora a qualidade de vida e o bem estar da população. Não queremos desmerecer nenhuma classe mas queremos boicotar esse concurso pois deveríamos ganhar um salário justo acima do que está sendo pago", é o que ressalta o presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Marcelino Martins.

O presidente completa que a categoria está unida neste boicote e está em diálogo com outras categorias que também não irão realizar inscrições para a prova. Outra categoria importante que está boicotando o concurso em Esperantina são os enfermeiros. O Conselho Regional de Enfermagem (Coren - PI) foi mais além e junto com o Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e em Enfermagem do Piauí – Senatepi, vai solicitar junto a prefeitura uma audiência para que a remuneração seja revista.

"É imoral o salário ofertado por esse edital e nós repudiamos essa desvalorização. Todas essas categorias são de profissionais importantes. Nós não temos um piso instituído mas no Piauí recebemos em uma média de 2800 e o valor que eles oferecem em edital é ínfimo para um município do porte de Esperantina. É uma ilegalidade e hoje mesmo vamos solicitar uma audiência junto com o sindicato", garantiu o presidente do Conselho Lauro César de Moraes.

Do outro lado, a prefeita do município, Vilma Amorim, se limitou a afirmar que todos os pagamentos constam no plano de cargos, carreiras e salários da prefeitura, mesmo que não estejam constando no edital. Segundo ela as gratificações que não estão especificadas estão a cargos a secretaria de administração que irá se pronunciar oficialmente sobre o assunto somente nesta quarta-feira (30).

Confira imagem retirada do edital:


Fonte: Cidade Verde 

Veja também

SAÚDE 6219332621121986250

Postar um comentário

Últimas Notícias

item