Reajuste na passagem de ônibus revolta usuários em Picos

PICOS - A passagem de ônibus em Picos sofreu novo reajuste e desagradou usuários do transporte público. Estudantes, inclusive, recorreram a...

PICOS - A passagem de ônibus em Picos sofreu novo reajuste e desagradou usuários do transporte público. Estudantes, inclusive, recorreram ao Ministério Público. A mei-tarifa passou de R$ 1,40 para R$ 1,50. Representantes da Assembleia Nacional dos Estudantes Livres consideram a taxa abusiva e alegam que o reajuste- que era previsto para acontecer a cada 12 meses- não está sendo cumprido. 


"O contrato prevê que o aumento seja de 12 em 12 meses, mas isso não está sendo cumprido. Em menos de um ano e meio, foram três reajustes, ou seja, foi um aumento a cada quatro ou cinco meses no máximo e nem a prefeitura e nem a Câmara de Vereadores fazem nada. Pelo contrário, a prefeitura cede esses aumentos e a empresa acha que por direito deve aumentar a passagem e  seus lucros com a exploração dos usuários", disse o representante da Anel Tiago Barroso da Silva.

O aumento atinge também o usuário que paga passagem inteira que saiu de R$ 2,8 para R$ 3. O proprietário da empresa preferiu não se manifestar sobre o reajuste. 

A frota de ônibus em Picos é composta por apenas 10 veículos, o que segundo os usuários, é insuficente e causa superlotação. Mais de 60 mil pessoas utilizam o transporte público no município. Os usuários reclamam que o tempo de espera que deveria ser no máximo de meia-hora é de 1h30, em média. 

"Infelizmente a empresa só está querendo ganhar e não pensa nos estudantes e nem nos trabalhadores. Esse aumento prejudica todo mundo. As empresas acabam ganhando e a gente perdendo", disse o estudante Augusto César de Sousa. 

O representante da Anel lamenta os sucessivos reajustes e diz que a denúncia foi encaminhada ao MP há cerca de um ano. "Agora a gente não sabe mais a quem recorrer. O MP tem o processo há mais de um ano contra essa empresa e não se tem resposta. Tivemos duas audiências na Câmara e ninguém nos dá resposta e a prefeitura também sempre fica ao lado dessa empresa", desabafa Tiago Barroso. 

O procurador-geral do município, José Neto Monteiro, justifica o aumento por problemas de tráfego em alguns pontos da cidade, sobretudo, nas laterais da BR-316.

"Nós temos nos posicionado com muita serenidade. Em fevereiro do ano passado era pra ter sido feito um reajuste com a empresa de transporte público de Picos e isso só foi feito no fim do ano. Agora em 2016, vários problemas estruturais nas vias, que não são de competência da prefeitura e sim do Dnit, vem causando danos à frota. Algumas dessas linhas não foram licitadas pelo município, mas a empresa fornece como na Mirolândia, Morrinhos, Morada Nova. Estamos estudando toda essa viabilidade", disse Monteiro. 

O procurador ressalta ainda que serão iniciados reparos na BR-316 na próxima semana, mas não há como fugir do reajuste. "Obedecemos a taxa inflacionária, mas também recebemos planilhas da empresa em que se é alegado a inviabilidade do serviço, caso a prefeitura não autorizasse o aumento da passagem nessa proporção", explica. 

Fonte: Cidade Verde

Veja também

PICOS 6431097227011847417

Postar um comentário

Últimas Notícias

item