Sarah Menezes é convocada para os Jogos Olímpicos

PIAUÍ - Prata no World Masters de Judô, disputado no México, na semana passada, Sarah Menezes irá voltar ao tatame no dia 6 de agosto, quan...

PIAUÍ - Prata no World Masters de Judô, disputado no México, na semana passada, Sarah Menezes irá voltar ao tatame no dia 6 de agosto, quando começa o torneio olímpico de judô. Os confrontos acontecerão na Arena Carioca 3, na Barra da Tijuca.

Campeã olímpica, Sarah Menezes busca inédito bi no judô brasileiro (Foto: Agência Reuters)
Antes disso, a judoca participará de treinamentos na França e Espanha, em junho. No dia 24 de julho, a seleção brasileira se concentra em um hotel na cidade de Mangaratiba, no litoral fluminense. De lá, os judocas só sairão na véspera dos Jogos Olímpicos.

A convocação já era esperada desde o início do mês. Quarta colocada no ranking mundial, Sarah Menezes se distanciou da compatriota Nathália Brígida, que chegou a ameaçar sua presença nos Jogos Olímpicos. Os resultados recentes da piauiense deixaram a paulista para trás.

Em um de seus melhores momentos, Sarah Menezes não sabe o que é ficar fora do pódio nas últimas seis competições que disputou. Foram dois ouros, uma prata e três medalhas de bronze, sempre enfrentando algumas de suas principais adversárias no circuito mundial.

Até o segundo semestre de 2015, o cenário era outro. A queda de rendimento vertiginosa, atribuída a uma “ressaca” do ouro conquistado em Londres, em 2012, fez a piauiense despencar no ranking mundial. Um série de medidas foram tomadas pela judoca, em conjunto com seus técnicos, o que incluiu a mudança para o Rio de Janeiro (RJ) durante a fase de treinamentos.

Segunda medalha olímpica é nova meta de Sarah / Foto: Thiago Amaral/Cidade VerdeSegunda medalha olímpica é nova meta de Sarah / Foto: Thiago Amaral/Cidade Verde
O cenário começou a mudar em novembro do ano passado. No Grand Slam de Tóquio, medalha de bronze após derrotar, nas quartas-de-final, a mongol Urantsetseg Munkhbat, que até hoje lidera o ranking mundial.

Após o ouro no Grand Prix de Havana, em janeiro, outro resultado expressivo. A medalha no Grand Slam de Paris também foi de bronze, mas teve sabor de ouro. Pela primeira vez em sete confrontos, a brasileira conseguiu superar a japonesa Haruna Asami, que se tornou sua rival ainda em 2010.

Os olhos do mundo voltaram a encarar Sarah Menezes como uma das favoritas ao bicampeonato. Em agosto, ela tentará manter o nome dourado que sustenta nas costas de seu quimono desde 2014, quando a Federação Internacional de Judô implementou a mudança para identificar os campeões olímpicos.

Fonte: Cidade Verde  

Veja também

PIAUÍ 329879400409051489

Postar um comentário

Últimas Notícias

item