TRE mantém a cassação do prefeito de Bocaina

BOCAINA - Em sessão realizada na manhã desta segunda-feira (11), o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI), manteve a sentença do Jui...

BOCAINA - Em sessão realizada na manhã desta segunda-feira (11), o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI), manteve a sentença do Juiz da 93ª Zona Eleitoral do Piauí, Sérgio Luís Carvalho Fortes que em 06.04.16, cassou o mandato do Sr. Nivardo Silvano de Sousa (PTB), prefeito de Bocaina-PI.

Com o falecimento do titular, José Luís de Barros, ocorrido em fevereiro deste ano, por problemas cardíacos, o Sr. Nivardo Silvano de Sousa, que era o vice-prefeito assumiu a prefeitura. Por esse motivo, o juiz de piso, julgou o processo procedente  apenas em relação a ele,  para cassar-lhe o diploma e aplicar-lhe multa de 10 mil Ufir.

O vice-prefeito se mantinha no cargo de prefeito, por força de um mandado de segurança, julgado pelo TRE-PI em 23.05.16.

O Tribunal decidiu a unanimidade, nos termos do voto do relator, Desembargador Edvaldo Pereira de Moura e em harmonia com o parecer do Procurador Regional Eleitoral, Israel Gonçalves Santos Silva, manter a decisão de primeiro grau que cassou o mandato do Sr. Nivardo Silvano de Sousa (PTB).

A confirmação foi proferida através da Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) nº 236-37.2012.6.18.0093 proposta pala coligação “Bocaina para todos”, Maria Goretti Barros e Maria Lusineti Rocha, 2ºs colocados nas eleições municipais de 2012 (PSB) para prefeito e vice, respectivamente, que afirmaram não possuir mais interesse em dar continuidade ao processo.

Em decorrência, o Ministério Público Eleitoral, por seu representante na 93ª Zona Eleitoral (Bocaina-PI) requereu a sucessão processual na AIJE acima mencionada, sendo deferido o pedido, assumindo, dali em diante, o polo ativo da ação, com a exclusão das partes autoras.

Na sentença, o juiz eleitoral da 93ª Zona reconheceu a prática de abuso de poder político/econômico, compra de voto pelo investigado por fazer parte do mesmo grupo político que se encontrava à frente da prefeitura no período da campanha eleitoral de 2012.

Segundo as denúncias o gestor municipal da época, Francisco de Macêdo Neto (PP), com o objetivo de obtenção de votos para o investigado, realizou benfeitorias em propriedades particulares de eleitores, inclusive utilizando máquinas, carros, funcionários e combustível da prefeitura, tais como: construção de açudes, nivelamento de terras, marcação de lagoas, dentre outros, em troca do voto; 

Doação de terrenos para correligionários políticos que mudassem seu domicílio eleitoral para o município de Bocaina-PI e que votasse no seu candidato. Compra de passagens aéreas para trazer eleitores de São Paulo para Bocaina.

Disponibilizou, também, prédio público onde funcionava a Unidade Escolar do povoado Lageirinho para que eleitores carentes morassem no mesmo; Doação de bens móveis, tais como materiais de construção; Manipulação do Programa Federal Bolsa Família para beneficiar eleitores, utilizando assim o Bolsa Família como “moeda de troca” por voto e coação em face de beneficiários de residências no Conjunto Habitacional da Vila Crioula, onde houve invasão de domicílio, tentativa de capturar documentos, tais como títulos de eleitores e outros documentos pessoais, ameaças e abuso do poder econômico e político com o intuito de favorecimento eleitoral aos candidatos de sua preferência. O município deverá passar por eleições indiretas para escolha do novo prefeito.

Fonte: TRE 

Veja também

POLÍTICA 3881562668177158224

Postar um comentário

Últimas Notícias

item