Aeronave do Samu Aéreo faz pouso de emergência em Valença

VALENÇA- Uma aeronave do Samu Áereo precisou fazer um pouso não programado na cidade de Valença esta semana, quando transportava um pacient...

VALENÇA- Uma aeronave do Samu Áereo precisou fazer um pouso não programado na cidade de Valença esta semana, quando transportava um paciente de Picos para Teresina.

O procedimento foi necessário, segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesapi), porque o piloto percebeu uma discreta perda de potência no motor da aeronave, realizando o pouso como precaução. 

O paciente havia sofrido um acidente de trânsito em Picos e apresentava um quadro de traumatismo crânio-encefálico. 

Embora ele tenha falecido na cidade de Valença, após o pouso não programado, a coordenadora do Samu Aéreo, Christiane Rocha Leal, afirma que o óbito não foi ocasionado por conta da aterrissagem inesperada, mas sim porque o estado do paciente era muito grave.

"O paciente foi a óbito mas não tem nada a ver com o problema da aeronave. Ele foi a óbito porque era um paciente muito grave e teve uma parada cardiorrespiratória. Ele estava sedado e sendo acompanhado pela equipe médica", afirma Christiane Leal.

Por meio de nota divulgada nesta quinta-feira, a Sesapi informou que, após fazer o pouso de emergência, o piloto acionou imediatamente a central do Samu Aéreo para que a aeronave reserva se deslocasse até a cidade de Valença.

A secretaria informa, ainda, ter solicitado que todas as providências necessárias sejam tomadas pela empresa prestadora de serviço, no sentido de reforçar a manutenção das aeronaves.

A coordenadora do Samu Aéreo explica que, além do piloto e do copiloto, o transporte de pacientes em aeronaves é feito com a presença de um médico e um enfermeiro.

Confira a íntegra da nota divulgada pela Sesapi:

Sobre o pouso não programado realizado por uma das aeronaves do SAMU Aéreo, em Valença, a Secretaria de Estado da Saúde informa que, após remoção de paciente em Picos e no trajeto para Teresina, já em voo nivelado e monitorado, o piloto detectou uma leve perda de potência ao passar por Ipiranga.  Por prudência, o piloto optou por descer numa pista de pouso mais próxima, no caso, a de Valença, acionando imediatamente à central para que a aeronave reserva fosse deslocada para aquele município.

No intuito de reforçar e garantir a segurança dos voos, a Secretaria solicitou que todas as providências fossem tomadas pela empresa prestadora de serviço, inclusive quanto ao reforço na manutenção das aeronaves. A empresa informou que a manutenção é feita em oficina homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil(ANAC), de acordo com o programa de manutenção do fabricante da aeronave.

A Secretaria informa ainda que o SAMU Aéreo realiza, em média, um voo de remoção por dia, raramente excedendo a esse quantitativo.

Fonte: Portal O Dia


Veja também

SAÚDE 5849521972335261155

Postar um comentário

Últimas Notícias

item