Canabravenses unem forças para ajudar Larissa

PICOS – Na manhã desta terça-feira (10) um grupo de canabravenses esteve no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí – HEMOPI de Picos ...

PICOS – Na manhã desta terça-feira (10) um grupo de canabravenses esteve no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí – HEMOPI de Picos para efetuar o cadastro como doadores de medula óssea. A ação faz parte da Campanha “Todos Juntos Por Larissa” e busca ajudar a médica picoense Larissa Luz, que está com Leucemia e precisa da doação de medula óssea. 

Grupo realizou cadastro como doadores de medula óssea. (Foto: Reprodução/Facebook)
Além de fazer o cadastro de doador de medula óssea, o jovem Francisco Lima aproveitou a oportunidade para doar sangue.  “Foi uma experiência muito moa, em poder ajudar o próximo, doando um pouquinho de mim”. 

A campanha foi iniciada ainda em dezembro do ano passado, momento em que a médica Larissa Luz foi diagnosticada com Leucemia. Deste período então, a jovem vem travando uma luta contra a doença e respondendo bem aos tratamentos, mas necessita de um doador para a sua cura. 

Apenas 25% dos pacientes têm chance de encontrar um doador entre familiares. Por isso é feito trabalho regular de conscientização sobre a importância de se cadastrar como possível doador de medula óssea. 

Para aumentar as chances de um doador compatível, existe o banco mundial de doadores de medula óssea, que reúne 71 registros de células-tronco hematopoiética (as células que dão origem ao sangue), em 58 países, e 48 bancos de cordão umbilical em 32 países. Atualmente, estão cadastrados nesse banco mais de 24 milhões de pessoas.

No Brasil, o número de doadores voluntários tem aumentado expressivamente nos últimos anos. Em 2000, existiam apenas 12 mil inscritos. Naquele ano, dos transplantes de medula realizados no país, apenas 10% dos doadores eram brasileiros localizados no Redome. Em novembro deste ano havia 3,5 milhões de doadores inscritos e o percentual subiu para 70%. O Brasil tornou-se o terceiro maior banco de dados do gênero no mundo, ficando atrás apenas dos Registros dos Estados Unidos (quase 7 milhões de doadores) e da Alemanha (quase 5 milhões de doadores).

Para se cadastrar como doador de medula óssea é preciso ter entre 18 e 55 anos, estar bem de saúde, não ter tido câncer e apresentar documento de identidade e comprovante de endereço. O cadastro será concluído com a assinatura de
 um Termo de Consentimento e a coleta de uma amostra de sangue (10 ml). O cadastro deve ser mantido atualizado. Para tanto é possível fazer contato com o Hemoce, no Núcleo de Medula Óssea, ou diretamente no site do Redome (http://www1.inca.gov.br/doador/).

Com informações do site http://www.ceara.gov.br/ 

Veja também

PICOS 9006467558763699125

Postar um comentário

Últimas Notícias

item