Pintinhos são cuidados como bebês em escola do Piauí

TERESINA - "Não estamos prontos para cuidar de um bebê". Essa é a lição que mais de 300 alunos do 1º ano do Centro Interescolar ...


TERESINA - "Não estamos prontos para cuidar de um bebê". Essa é a lição que mais de 300 alunos do 1º ano do Centro Interescolar Prefeito João Mendes Olímpio de Melo (Premen Norte), na capital Teresina,  aprenderam com a realização do projeto "Na adolescência não faça filhos, leia livros", no qual os estudantes foram divididos em casais e ficaram responsáveis por cuidar de um pintinho como se fosse um filho.

Alunos cuidam de pintinhos como se fossem bebês. (Foto: Reprodução)
A iniciativa, segundo a professora Lessandra Ribeiro, idealizadora do projeto, nasceu da percepção do alto índice de gravidez na adolescência dentro da escola. 

"Em apenas um ano, tivemos cerca de 15 garotas grávidas, a maioria estudantes do 2º e 3º ano. Dessa forma, resolvemos trabalhar o projeto e as informações sobre prevenção com os alunos do 1º ano para mudar essa realidade e evitar novos casos no decorrer do ensino médio. A experiência foi muito positiva e eles sentiram na pele a dificuldade de ser responsável por outra vida", relatou a professora.

Os alunos Gabriela Moreno, de 15 anos, e Mateus dos Santos, de 16, formaram um dos casais que cuidaram do pintinho como se fosse um bebê. O filhote, que ganhou o nome de Fernanda, foi criado em guarda compartilhada e mudou a rotina dos adolescentes. 

"O período em que o pintinho estava comigo era muito difícil. Eu não podia sair, nem estudar direito. Tinha que alimentá-lo e, além disso, o barulho dele me incomodava muito. Não quero ser pai agora", disse Mateus.

Para Gabriela, também não foi fácil, mas apesar das dificuldades, a adolescente enalteceu a experiência. 
"Aprendemos muito durante esse período. Cuidar de outra vida requer muita responsabilidade. Mudou tudo na minha casa e eu tive que contar com a ajuda dos meus pais", explicou a estudante.

A experiência foi ainda mais inusitada para o estudante Silvio Gabriel, ele teve que cuidar do pintinho sozinho depois de ser abandonado pela colega de sala. 

 Professor, Lessandra Ribeiro, idealizadora do projeto. (Foto: Reprodução)
"Foi muito difícil para mim porque, além de estudar, eu trabalho. Cuidar do pintinho sozinho foi um desespero", completou Gabriel.

O projeto "Na adolescência não faça filhos, leia livros" terá continuidade na escola. A partir de agora, os estudantes participam de uma nova etapa do projeto com trabalhos de incentivo à leitura. 

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) fará a doação de novos livros paradidáticos para auxiliar nas atividades.

Fonte: CidadeVerde

Veja também

PIAUÍ 83014575758733449

Postar um comentário

Últimas Notícias

item