Larissa atribui cura da Leucemia à milagre

Foto: Reprodução/Facebook  PICOS - Em 9 de dezembro de 2015, a vida da médica picoense Larissa Almondes da Luz, que na época tinha 27 ...

Foto: Reprodução/Facebook 

PICOS - Em 9 de dezembro de 2015, a vida da médica picoense Larissa Almondes da Luz, que na época tinha 27 anos, ganhou um novo curso - doloroso e desafiador - com o diagnóstico médico que a mesma possuía Leucemia e que necessitava de um transplante de Medula Óssea. É nesta fase que a família de Larissa e centenas, milhares de brasileiros se juntam a campanha #TodosjuntosporLarissa em busca de um doador compatível.

Foram quase dois anos de internações, passagens pela Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mudanças de rotina, de decisões que tiveram reflexos na maneira de enxergar a vida a partir de chances remotas da localização de um doador, alguém que pudesse realizar este gesto de amor e de valorização pela vida do outro.

A campanha criada inicialmente com a finalidade de encontrar uma Medula Óssea compatível a de Larissa teve um resultado surpreendente, além de aumentar o número de doadores em todo o país, dezenas de pessoas que enfrentavam a mesma doença da médica picoense foram ajudadas e ganharam uma vida nova através da doação do órgão.

Estes laços de união, de amor, de orações, também geraram frutos positivos no tratamento da Larissa que agora em outubro de 2017 se diz curada por um milagre de Nossa Senhora Aparecida.

“Sem dúvida eu fui testemunha de um grande milagre na minha vida. O tratamento é árduo e as circunstâncias em que me encontrei durante o mesmo com sinais de bastante gravidade, não tenho dúvidas de que foi um milagre e me encontro testemunhando sobre a minha história de amor e fé certamente pela intervenção divina de Deus e de Nossa Senhora”, afirmou a médica picoense.

Larissa Luz revelou que acreditou sempre nas orientações médicas, mas que a fé foi o grande alicerce nos momentos de dificuldade em que os acontecimentos levavam a crer que tudo poderia não ocorrer como o esperado.

“A fé foi meu alicerce. Obedecemos criteriosamente ao tratamento clínico proposto, mas eu e minha família nunca deixamos de ser esperançosos e de acreditar na força divina. Eu costumo falar que a campanha #Todos juntos por Larissa, por quem precisa. Esse nome certamente é uma providência divina, pois não existiria Larissa hoje se não houvesse a união de todos guiados por Deus e Nossa Senhora. Cada oração, prece elevadas aos céus intercederam por minha cura”, frisou Larissa. 

Trazendo uma explicação sacerdotal sobre a ideia de milagre, o Pe. da Diocese de Picos, João Pereira de Sousa, enfatizou que a fé é o caminho da salvação das dores físicas e espirituais.

“Podemos ver na Bíblia Jesus realizando milagres pela fé. Então o que cura, o que salva é a fé. Jesus diz que quem crê possui a vida eterna e quem não crê será condenado. É a fé que faz a diferença. Deus tem o poder, mas ele não impõe é preciso que a pessoa acolha, esse acolhimento é a fé”, concluiu o padre.

Nos dias atuais, mesmo diante de um quadro de saúde estável Larissa ainda faz uso de medicamentos, mas para ela o maior deles continua sendo a fé.

Fonte: Folha Atual

Veja também

PICOS 4711518187883318108

Postar um comentário

Últimas Notícias

item