Gasolina: governo estuda rever impostos e Petrobras anuncia nova alta

Diante do alto preço dos combustíveis - e dos reajustes consecutivos - o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, afirmou que o gover...


Diante do alto preço dos combustíveis - e dos reajustes consecutivos - o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, afirmou que o governo já estuda medidas para reduzir o PIS/Cofins e o ICMS.

"Está subindo demais. Já tinha conversado anteriormente com o presidente [da Petrobras] Pedro Parente. Cheguei até, em determinado momento, a conversar com o presidente do Cade [Conselho Administrativo de Defesa Econômica], porque havia alguma distorção que ninguém entendia e é fundamental que as pessoas entendam".

Segundo o ministro, a Petrobras pratica uma política de preços correta, mas é preciso entender que a composição do preço envolve outros fatores.

A discussão sobre o preço dos combustíveis, na visão dele, também deve envolver a Petrobras, pela sua importância como fornecedora. "É uma questão do governo, mas ela [a Petrobras] como elemento importante e fornecedora de um bem fundamental, tem que dar a sua experiência, contribuição e avaliação da realidade para que possamos ter uma politica de preço que seja justa".

As declarações foram dadas na última sexta-feira (18), e já nesta segunda-feira (21), a Petrobras anunciou novos reajustes. Os preços do diesel serão elevados em 0,97% e os da gasolina em 0,9% nas refinarias.

Com os reajustes, os preços dos combustíveis irão a novas máximas dentro da política em vigor desde julho, a R$ 2,3716 o litro de diesel e R$ 2,0867 o litro de gasolina.

Fonte: Cidade Diante do alto preço dos combustíveis - e dos reajustes consecutivos - o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, afirmou que o governo já estuda medidas para reduzir o PIS/Cofins e o ICMS.

"Está subindo demais. Já tinha conversado anteriormente com o presidente [da Petrobras] Pedro Parente. Cheguei até, em determinado momento, a conversar com o presidente do Cade [Conselho Administrativo de Defesa Econômica], porque havia alguma distorção que ninguém entendia e é fundamental que as pessoas entendam".

Segundo o ministro, a Petrobras pratica uma política de preços correta, mas é preciso entender que a composição do preço envolve outros fatores.

A discussão sobre o preço dos combustíveis, na visão dele, também deve envolver a Petrobras, pela sua importância como fornecedora. "É uma questão do governo, mas ela [a Petrobras] como elemento importante e fornecedora de um bem fundamental, tem que dar a sua experiência, contribuição e avaliação da realidade para que possamos ter uma politica de preço que seja justa".

As declarações foram dadas na última sexta-feira (18), e já nesta segunda-feira (21), a Petrobras anunciou novos reajustes. Os preços do diesel serão elevados em 0,97% e os da gasolina em 0,9% nas refinarias.

Com os reajustes, os preços dos combustíveis irão a novas máximas dentro da política em vigor desde julho, a R$ 2,3716 o litro de diesel e R$ 2,0867 o litro de gasolina.

Fonte: Cidade Verde.
Adsense aqui 21 maio

Veja também

NOTÍCIAS 7916915003892191463

Postar um comentário

Últimas Notícias

Arquivo

item