A Secretaria de Estado da Saúde do Piauí informou nesta terça-feira (28) que o estado registrou mais um caso de Febre do Nilo Ocidental. O paciente é um adulto jovem que sofreu um quadro de meningoencefalite e foi internado no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela, em Teresina.

Segundo a Sesapi, a internação aconteceu em fevereiro de 2020. O paciente recebeu alta com melhora clínica. O paciente reside na zona urbana de Água Branca, mas seus sintomas iniciaram durante sua estadia em São Paulo.

Este é o sétimo caso de febre do Nilo Ocidental diagnosticado no Piauí. Os outros seis casos correspondem a pacientes residentes nos munícios de Aroeiras do Itaim (2014), Picos (2017), Piripiri (2017), Lagoa Alegre (2019), Teresina (2019) e Amarante (2019). Casos em animais já foram registrados no Brasil, nos estados do Espírito Santo (2018), Ceará (2019) e São Paulo (2019).

Desde 2013, a Sesapi informou que monitora ativamente todos os casos suspeitos da doença. O Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella é o hospital de referência para diagnóstico e tratamento dos casos.

As medidas de prevenção recomendadas são semelhantes àquelas recomendas contra dengue, Zika e chikungunya: evitar a proliferação de criadouros e o contato com mosquitos transmissores.


Transmissão


Forma de transmissão da febre do Nilo. — Foto: Reprodução/Ministério da Saúde

A febre do Nilo Ocidental é uma infecção viral transmitida pelo mosquito Culex (mosquito comum). É uma arbovirose, assim como a dengue, a zika e a chikungunya.

De acordo com o Ministério da Saúde, não existe tratamento disponível para os casos leves e moderados – o paciente fica em repouso e com reposição de líquidos. Na versão grave da doença, há necessidade de acompanhamento de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Sintomas

Cerca de 20 % dos indivíduos, segundo o Ministério da Saúde, desenvolvem os sintomas da febre do Nilo:


  • febre aguda de início abrupto, frequentemente acompanhada de mal-estar;
  • anorexia;
  • náusea;
  • vômito;
  • dor nos olhos;
  • dor de cabeça;
  • dor muscular;
  • exantema máculo-papular (manchas vermelhas na pele) e linfoadenopatia (nódulo geralmente atrás da orelha).

Comente




Postagem Anterior Próxima Postagem