Na cidade de Curral Novo do Piauí, distante 491 Km de Teresina, dez candidatos disputam nove vagas para o cargo de vereador nas eleições deste ano.




Dos dez candidatos, nove são do mesmo partido, o MDB. Apenas um é filiado ao Progressistas (PP). A cidade de quase 5 mil habitantes, segundo último censo do IBGE chama atenção pela baixa participação popular na disputa eleitoral.

A advogada eleitoral Giovana Nunes comenta que neste é a primeira vez que os candidatos ao legislativo concorrem por partido e não mais por coligação.

"Nós não podemos ter coligações para os cargos do sistema proporcional ou seja para a câmara dos vereadores. Isso signifca que os eleitores irão ter ma maior clareza em relação a destinação ideológica do seu voto dentro da câmara dos vereadores", analisa Giovana.

Mas isso não quer dizer que o único candidato de partido diferente nas eleição de Curral Novo será eleito se receber apenas um voto.

"A gente faz um cálculo chamado de quociente eleitoral que leva em consideração não apenas o fato de você ter um único candidato de um único partido. É preciso que eesse partido receba o número minimo de votos que é o, que a gente chama de quociente,ou seja você vai pegar todos os votos válidos da eleição e dividir pelo número de cadeiras", acrescenta a advogada.

Em todo Piauí cerca de 10 mil candidatos filiados a 33 partidos políticos disputam o cargo de vereador.
Para o cientista político Ricardo Alaggio, a mudança deixa o pleito eleitoral mais democrático e representativo.

"Havia muita distorção. Tivemos vereadores eleitos com 1300, 1400, 1500 votos. Equanto vereadores de outros partidos que tiveram 5 mil, 6 mil, não foram eleitos", pondera.

Fonte: Cidade Verde 

Comente




Postagem Anterior Próxima Postagem