Não é preciso ser especialista em saúde para saber que enfrentamos, aqui no interior do estado, o pior e mais devastador momento da Pandemia do Novo Coronavírus. A negação a doença cobra um alto preço, até mesmo de quem seguiu as medidas e tentou a todo custo evitar a proliferação do vírus.


Paciente com covid chega ao Hospital Regional Justino Luz. (Foto: Antonio Rocha)

O Hospital Regional Justino Luz é referência no atendimento a casos moderados e graves de para mais de 40 municípios, são mais de 500 mil pessoas que dependem da unidade, que hoje encontra-se com mais de 90% de lotação no Setor de destinado a Síndromes Gripais Agudas Graves, o Setor Covid, como é chamado.

No último sábado, o Hospital, que contava até então com 35 leitos Clínicos e 20 de UTI, atingiu pela primeira vez em 2021 100% de lotação na enfermaria, de la pra cá a coisa so piorou.

Na segunda-feira, 15, foram abertos mais oito leitos clínicos, agora o total é 43, mas a lotação está próxima, hoje, 18, 40 leitos estão ocupados, o que corresponde a 93% de ocupação, na UTI, mesmo índice, 93,8% de ocupação.

Nesta quarta-feira, 11 pacientes receberam alta do Setor Covid e um homem de Dom Expedido Lopes, 67 anos, morreu vítima da doença. A unidade soma 280 mortes por covid-19. 

Na região, o Hospital Regional Deolindo Couto em Oeiras, atingiu ontem 100% de ocupação dos leitos de UTI e em São Raimundo Nonato a situação é ainda pior, a enfermaria, 20 leitos, e a UTI, 17 leitos, estão com 100% de ocupação.

Ainda de acordo com o Boletim, na capital Teresina são 298 leitos de UTI e restam apenas 24 vagos.

 

Comente




Postagem Anterior Próxima Postagem